BIBLIOTECAS PÚBLICAS BRASILEIRAS: LUGAR DE HISTÓRIA, DE TROCA DE CONHECIMENTO E DE FAZER AMIGOS

Que tal conhecer uma biblioteca pública? Dentro delas, há muito mais que livros. 

Além de ser um lugar tranquilo para colocar a leitura em dia, existem espaços pouco conhecidos ideais para fazer novos amigos, relaxar e trocar conhecimento que você vai adorar descobrir. Além de serem totalmente instagramáveis!  


📍 SÃO PAULO 

Com um dos acervos mais importantes do Brasil, a Biblioteca Mário de Andrade foi fundada em 1925, na época batizada de Biblioteca Municipal de São Paulo. Seu amplo espaço e arquitetura chamam a atenção e atraem turistas do mundo todo. No local, há atividades para todos os gostos: lançamentos de livros, debates, ciclos de leitura, aulas e mostras artísticas de vários artistas. Vale a pena visitar. 

Onde: R. da Consolação, 94 – República – São Paulo/SP 

Quando: Todos os dias, das 10 h às 18 h. 

Acesso: Gratuito 


📍 RIO DE JANEIRO 

São mais de 200 anos de história! A Biblioteca Nacional é a mais antiga instituição cultural brasileira, com salas dedicadas ao acervo, cartografia e um lindo jardim externo. As atividades, oficinas, workshops e seminários são oferecidos de maneira presencial e remota por meio de lives exclusivas ou retransmissões, garantindo o acesso democrático do conhecimento. Por ser um local histórico, a “BN” se torna ainda um excelente lugar para fazer uma visita turística sem gastar nada. 

Onde: Av. Rio Branco, 219 – Centro – Rio de Janeiro/RJ 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 10 h às 16 h (mediante agendamento prévio). 

Acesso: Gratuito 


📍 MINAS GERAIS 

Inaugurada em 1961, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (prédio-sede) foi feita pelo arquiteto Oscar Niemeyer para o governo de Juscelino Kubitscheck. Além dos tradicionais livros, o local abriga obras raras e representativas de autores nacionais e estrangeiros, coleção infanto-juvenil, jornais e revistas de diversas épocas, audiolivros, e acervo em Braille. Além disso, há um acervo digitalizado disponível para consulta na internet. O espaço também conta com teatro, sala de cursos e galeria de arte.  

Onde: Praça da Liberdade, 21 – Savassi – Belo Horizonte/MG 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 8 h às 18 h. Sábado, das 8 h às 12 h. 

Acesso: Gratuito 


📍 PERNAMBUCO 

A Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco tem mais de 170 anos e é considerada um dos principais instrumentos de preservação da memória e cultura dos pernambucanos. O local também promove oficinas, cursos, palestras, rodas de conversa e exposições. Todas as atividades são gratuitas e abertas para o público em geral. Vale a pena conhecer. 

Onde: R. João Líra, s/n – Santo Amaro – Recife/PE 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 8 h às 20h45 

Acesso: Gratuito 


📍 CEARÁ 

Funcionando desde 1865, a Biblioteca Pública Estadual do Ceará é uma das mais antigas instituições de cultura do estado. Para você ter uma ideia, o primeiro acervo foi trazido diretamente da Europa com 1.730 volumes. O local, de livre acesso ao público, é destinado ao acesso aos livros, à informação, às artes, à cultura e ao conhecimento. Você ainda pode ver filmes, ouvir músicas, participar das múltiplas atividades culturais ou solicitar o empréstimo de livros entre os mais de 100 mil exemplares disponíveis no acervo.  

Onde: Av. Presidente Castelo Branco, 255 – Fortaleza/CE 

Quando: Terça a sexta-feira, das 9 h às 20 h. Sábado e domingo, das 9 h às 18 h. 

Acesso: Gratuito 


📍 BRASÍLIA 

Concebida no plano original da cidade, a Biblioteca Nacional de Brasília foi projetada por Oscar Niemeyer, no final dos anos 1950, porém, o espaço demorou para ser construído e só foi finalmente aberto ao público em 2008. Seu acervo era composto basicamente de doações, hoje, estima-se que sejam mais de 25 mil obras e seu catálogo está disponível para consulta on-line. 

Onde: Setor Cultural Sul – CTS Lote 2 Ed. Biblioteca Nacional de Brasília – Brasília/DF 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 8 h às 20 h. Sábado e domingo, das 8 h às 14 h. 

Acesso: Gratuito 


  

📍 PARÁ 

Há mais de 150 anos, a Biblioteca Pública Arthur Vianna promove o acesso à informação e à cultura paraense. Suas atividades abrangem projetos dedicados ao incentivo da leitura, visitas institucionais e monitoradas, palestras, exposições, cursos e oficinas e programações culturais diversificadas para todos os públicos. São mais de 800.000 itens acervados entre livros, jornais, revistas, gibis, mapas, discos em vinil, VHS, DVDs, CDs, livros em Braille, microfilmes, jogos e outros.  

Onde: Av. Conselheiro Furtado, 1361-1433 – Cremação, Belém – PA, 66063-060 

Quando: Segunda à sexta-feira, das 9h  às 18h. 

Acesso: Gratuito 


📍 ACRE 

Localizado no centro da capital acreana, o prédio da Biblioteca Pública Adonay Barbosa dos Santos tem localização privilegiada, próximo da Praça da Revolução. O local abriga cerca de 80 mil títulos, obras de arte, um espaço kids, uma sessão de histórias em quadrinhos (HQ) e uma filmoteca com 116 lugares. 

Onde: Av. Getúlio Vargas, 389 – Bosque – Rio Branco/AC 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 7h às 14h. 

Acesso: Gratuito 


📍 PARANÁ 

Localizada desde 1954 no Centro de Curitiba, num prédio histórico, tombado pelo Patrimônio Cultural: essa é a Biblioteca Pública do Paraná, que conta com uma programação cultural repleta de atividades, como exibição de filmes, exposições de arte, encontros semanais dedicados à poesia, contação de histórias, oficinas de criação literária e bate-papos mensais com escritores de literatura adulta e infantojuvenil. 

Onde: R. Cândido Lopes, 133 – Centro – Curitiba/PR 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 8h30 às 20 h. Sábado, das 8h30 às 13 h. 

Acesso: Gratuito 


📍 RIO GRANDE DO SUL 

Instalada desde 1912 na Praça da Matriz em um prédio histórico, a Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul é uma importante peça na manutenção das culturas gaúchas dos séculos XIX e XX. Estão sob a guarda dela, por exemplo, os relatórios de governo a partir de 1860, além de raridades como a Pharsalia, de Lucanus, de 1519, e edições primorosas de La Divina Comedia, de Dante Alighieri, editada em 1921 por Conrado Ricci, em edição restrita a mil exemplares, e de Os Lusíadas, de Camões, na edição comemorativa de 1819, que tem alto valor por sua reduzida edição de doze exemplares em pergaminho. Só por isso já vale a visita! 

Onde: R. Riachuelo, 1190 – Centro Histórico – Porto Alegre/RS 

Quando: Segunda a sexta-feira, das 10 h às 18 h. 

Acesso: Gratuito 

Você gostou?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Veja mais conteúdos que podem te interessar:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro: